Coroa do Morro

Tenho a impressão
de que os barracos
de madeira e papelão
vão pegar fogo
quando o sol vermelho vivo
se esconde atrás do morro
 
A favela então revela
sua estranha silhueta
no recorte de telhados e antenas
contornado por uma franja
de luz rosa e amarela e laranja
 
Como é colorida a coroa da tarde
estandarte do Sol poente
Como é bela a favela incandescente!
 
Mas o morro não está em chamas
o fogo não queima a favela
quando a noite chega, tudo se apaga
e uma sombra é lançada
em cada bar, cada viela
 
Então vem as estrelas
aparecendo aos montes
são as lâmpadas das casas
cometas raptados
que escapam da janela
pra acender o infinito
e ganhando a escuridão
vão pontilhar o horizonte 
 
 
(Marcus Vinícius) 
comments

  

DONDE MIRAS  colecionadore de pedras  angude sangue    mesquiteios  

manda busca  tarja preta   aguas da cabaca  entre o silencio e o alter ego  sobreesquinastulmutuadasdeverdade

capa serginho donde miras  toda poesia paulo leminski literatura r7 4501  vinicius de moraes  motolove  capavictor  desenho do chao

  

Acervo

Conheça o acervo online do Coletivo Correspondência Poética que desde de 2009 atua na pesquisa e difusão literária, por meio de diferentes plataformas.

 

iconwifi

para ver para ouvir

Biblioteca

Videoteca

Audioteca

Acesse nosso acervo de poesias.

Leia ou envie poemas.

São mais de 150 vídeo poemas

para você assistir.

Aumente o volume e conheça

nossa audioteca poética.