São Paulo não é uma cidade - Poema de Juliana Bernardo

São Paulo não é uma cidade


São Paulo é uma afronta
trópico das possibilidades
terra prometida


São Paulo é um navio com tripulação lírica
sereias tatuadas, xamãs equilibristas
(todo pobre é equilibrista)
na linha vermelha amarela blues
linha tábua de esmeralda
quem está por cima estará por baixo


São Paulo é maré é mágoa
e cruzar São Paulo a pé
é cruzar o mundo sem um puto sem um psiquiatra
por isso é preciso levar luva de boxe, rima, vinagre
jogar capoeira, puxar no sotaque, entender o recado
fazer a curva


São Paulo é uma curva
& as esquinas são o caminho mais curto
entre duas dúvidas
okê arô, São Paulo é uma procura
é tesão é tontura
é andar de pensamento aceso pela rua escura


São Paulo é osso é fé é pulo
é a lua fechada pra reforma
somos todos cientistas
somos todos skatistas
somos todos astronautas
viajando no espaço entre o trem e a plataforma.

 

 

(Juliana Bernardo)

comments

  

DONDE MIRAS  colecionadore de pedras  angude sangue    mesquiteios  

manda busca  tarja preta   aguas da cabaca  entre o silencio e o alter ego  sobreesquinastulmutuadasdeverdade

capa serginho donde miras  toda poesia paulo leminski literatura r7 4501  vinicius de moraes  motolove  capavictor  desenho do chao

  

Acervo

Conheça o acervo online do Coletivo Correspondência Poética que desde de 2009 atua na pesquisa e difusão literária, por meio de diferentes plataformas.

 

iconwifi

para ver para ouvir

Biblioteca

Videoteca

Audioteca

Acesse nosso acervo de poesias.

Leia ou envie poemas.

São mais de 150 vídeo poemas

para você assistir.

Aumente o volume e conheça

nossa audioteca poética.